Segurança cibernética será prioridade nacional

brasilia-2341647_640

Segurança cibernética provavelmente será posicionada como uma prioridade de segurança nacional em igualdade ao combate a criminalidade e a violência no país – de acordo com membros do grupo de integração no novo Governo Brasileiro.

Atualmente as responsabilidades pela segurança cibernética são compartilhadas entre o Conselho de Defesa Nacional, o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, o Centro de Defesa Cibernética do Exército Brasileiro, a Agência Brasileira de Inteligência e o Ministério da Justiça por meio do Departamento de Polícia Federal. Podendo haver um esforço para simplificar e combinar funções e responsabilidades sob uma estrutura de governança de segurança cibernética mais centralizada. Tal esforço estaria alinhado com os outros objetivos do Presidente, como simplificar os ministérios.

Enquanto isso, na frente legislativa, a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPDP), foi ratificada no Congresso em meados de 2018, e deve entrar em vigor nos próximos 18 meses. A lei foi inspirada no GDPR da Europa e marca a primeira tentativa real do Brasil de lidar com questões de privacidade digital. Com seu lançamento, o Brasil tem a oportunidade de afirmar sua maturidade, impulsionar novas iniciativas para melhorar a segurança cibernética e assumir um papel de liderança definitiva em segurança cibernética na América Latina.

Para mais informações, clique aqui.