TSE realizará evento de Teste Público de Segurança: pré-inscrições prorrogadas para o dia 22 de setembro

Entre os dias 25 a 29 de novembro ocorrerá, na sede do TSE, em Brasília, o Teste Público de Segurança (TPS) 2019 do Sistema Eletrônico de Votação. As pré-inscrições foram prorrogadas até o próximo dia 22 de setembro. Qualquer brasileiro, a partir de 18 anos completos, que atenda aos requisitos do edital do TPS pode participar do teste. Os interessados devem preencher o formulário de pré-inscrição na página do TPS na internet.

Promovido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o TPS 2019  reunirá profissionais de Tecnologia da Informação, com o objetivo de identificar eventuais vulnerabilidades relacionadas à violação da integridade ou do anonimato dos votos de uma eleição. O TPS é realizado desde 2009 e fortalece a confiabilidade, a transparência e a segurança da captação e da apuração dos votos, além de propiciar melhorias constantes no processo eleitoral.

Primeiro em todo o mundo a fazer esse tipo de teste, o TSE abre os sistemas eleitorais para que investigadores tentem quebrar as barreiras de segurança do processo de votação. Ao conceder acesso aos sistemas para inspeção dos códigos-fonte e para testes diversos, a Justiça Eleitoral busca o aprimoramento dos mecanismos de segurança do software e do hardware, contando com a visão e com a experiência de outros órgãos públicos, de estudiosos e dos cidadãos em geral.

Com a prorrogação das pré-inscrições, o resultado da primeira fase será publicado no dia 26 de setembro. As demais datas estão mantidas. De 14 a 27 de outubro, os investigadores que tiverem sua pré-inscrição aprovada deverão inscrever seus planos de teste. A publicação das inscrições aprovadas ocorrerá em 30 de outubro. O TSE arcará com os custos de passagens e diárias dos inscritos selecionados, ainda que morem no exterior.

Planos de testes

Durante o TPS, os investigadores com a inscrição aprovada apresentarão e executarão seus planos de testes nos componentes externos e internos da urna eletrônica, na tentativa de “vencer” as barreiras de segurança e identificar qualquer possibilidade de vulnerabilidade do sistema eletrônico de votação. A Corte Eleitoral fornecerá todas as ferramentas solicitadas previamente pelos participantes para a execução dos planos.

Caso seja encontrado qualquer tipo de falha, as equipes de desenvolvimento da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) do TSE realizarão as correções e, posteriormente, convidarão os investigadores para executarem novo teste e, assim, verificar se a vulnerabilidade foi corrigida.

O edital pode ser encontrado aqui. Para realizar a pré-inscrição, clique aqui.