Abin: País está vulnerável a ciberataques terroristas nos próximos grandes eventos

Numa audiência pública no Congresso Nacional sobre a estrutura de segurança e defesa do Brasil para a organização dos grandes eventos internacionais que serão realizados no país nos próximos anos – Copa das Confederações e Jornada Mundial da Juventude em 2013, Copa do Mundo em 2014 e Olimpíadas em 2016 -, o diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Luiz Alberto Sallaberry, afirmou nesta terça (24) que nunca estivemos tão próximos de um ciberataque terrorista:

“Desde o descobrimento do Brasil não tivemos atentados e nunca fomos alvo. Mas, pela primeira vez em nossa história, vamos sediar grandes eventos – o que nos coloca numa situação de exposição sem precedentes. Não estamos aqui com mensagem alarmista, mas, no contexto atual, não houve momento mais propício para atos terroristas no País”

O discurso foi complementado pelo representante do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, major-brigadeiro Gerson Nogueira Machado: “Um ataque cibernético pode paralisar a maior empresa aérea, acabar com um evento como esses”.

Especificamente no âmbito da Segurança da Informação, a Abin vem se preparando com o treinamento de seus agentes no Brasil e no exterior, para atuar já em junho, na Rio+20, e trocando informações com órgãos semelhantes de outros países, segundo o diretor do Departamento de Integração do Sistema Brasileiro de Inteligência da Agência, Carlos Alberto Ataíde Trindade.

Veja mais detalhes em Abin: Copa do Mundo deixa o Brasil vulnerável a ataques terroristas – Agência Câmara de Notícias e Audiência discute possibilidade de cibertaques em grandes eventos no País – Internet – IDG Now!.