Ciber-ataques se multiplicaram e tornaram-se muito mais profissionais

A rede de jornalismo The Economist publicou um artigo alertando o aumento da ocorrência de ataques cibernéticos. Também foi compilado uma imagem contendo estatísticas de ataques de Hackers chineses em diversos setores da indústria.

O site ainda relembra alguns acontecimentos passados como o de 20 de março de 2013 onde discos rígidos de dezenas de milhares de computadores na Coreia do Sul foram subitamente deletados em um maciço ataque cibernético. Os principais alvos eram bancos e agências de notícias. No início, o ataque parecia ser um caso de ciber-vandalismo. Mas os detetives envolvidos descobriram novas evidências e chegaram a uma conclusão diferente. A operação, que eles batizaram “Dark Seoul”, tinha sido cuidadosamente planejada. Os hackers tinham encontrado o caminho para os sistemas dos alvos a alguns meses atrás e inserido o software necessário para “limpar” drives. Pouco antes do ataque, acrescentaram o código necessário para acioná-lo.

Hackers criminosos são responsáveis​​, de longe, pelo maior número de ataques cibernéticos e tornaram-se, sem dúvida, as maiores ameaças para as empresas. Alguns grupos foram tão bem organizados que se assemelharam a minimultinacionais. No início deste ano, uma operação conjunta da polícia de alguns países derrubou uma organização cibercriminosa por trás de um malware chamado Blackshades que infectou mais de meio milhão de computadores em mais de 100 países. A polícia descobriu que o grupo estava pagando os salários de seus funcionários e haviam até contratado um diretor de marketing. Eles ainda mantinham uma equipe de suporte para seus clientes. “Crime mudou drasticamente como resultado da internet”, diz Andy Archibald, o chefe da Unidade de Crimes Cibernéticos Nacional da Grã-Bretanha.

Confira mais detalhes da matéria neste link.