9 fatos sobre segurança da informação que você deveria saber

security-1163108_640

Todos os dias ouvimos falar em falhas de segurança, vírus e de invasores que podem roubar todos os seus dados ou algo até pior. Mas o que há de verdade nessas ameaças digitais? Segundos especialistas, você deveria estar por dentro destes 9 fatos:

1) Tenha uma senha forte

Um dos maiores problemas é que a mídia se concentra em falar sobre as técnicas de invsão mais profundas e complicadas, o que faz muitos acreditarem que não há muito o que fazer para se defender deles. Mas isso não é verdade. Os usuários podem se proteger da maioria das ameaças possíveis ao seguir esses dois passos simples: instalando um gerenciador de senhas e usando-o para criar senhas únicas para cada serviço que eles usam e ativando opções de autenticação em dois passos (normalmente via mensagens de texto ou autenticações) em suas contas de email e redes sociais. Sim, criar uma senha boa é fácil — e ainda é a melhor coisa que você pode fazer.

2) Dispositivos novos não significam que são seguros

Quando você tira seu smartphone, tablet ou notebook da caixa, com as baterias durando um dia inteiro de uso, te passa uma sensação de segurança, novo e livre de ameaças. Mas isso não significa que seu computador já não esteja infectado por malwares ou cheio de vulnerabilidades de segurança. Um dos maiores mitos de segurança é que dispositivos iniciam suas vidas completamente seguros, e se tornam menos seguros com o passar do tempo. Isso não é verdade, especialmente considerando que diversos dispositivos vinham com adwares de fábrica. Proteja seus dispositivos, independe de quais sejam e quão novo sejam.

3) Até os melhores softwares do mercado contam com falhas de segurança

Com recursos o suficiente, sempre há uma forma de um usuário malicioso invadir um sistema. Você já deve ter ouvido a frase “é questão de quando, e não se” em relação a uma empresa ser invadida. O objetivo da segurança em computadores, portanto, é fazer com que o ataque saia mais caro para os invasores (em questão de dinheiro, tempo, recursos, pesquisa etc.). Por isso saiba, nem sempre um software caro te isenta de outros cuidados.

4) Todos os sites e apps deveriam usar HTTPS

Você já deve ter ouvido rumores sobre o HTTPS. Ele é lento. É apenas para websites que precisam de ultra-segurança. Não funciona tão bem. Tudo isso é mentira. Todos os sites na web precisam ser HTTPS, porque sem HTTPS é fácil para invasores, bisbilhoteiros ou programas de vigilância governamental verem exatamente o que as pessoas leem no seu site; quais dados seu app está processando; ou até mesmo modificar ou alterar esses dados de formas maliciosas.

5) A nuvem não é segura, ela cria novos problemas relacionados a segurança

Hoje em dia tudo está na nuvem. Seus emails, fotos, documentos pessoais e tudo mais o que você deseja. E a nuvem é mais segura do que você imagina, só que ela também cria novos problemas de segurança que você nem imaginava que poderiam existir. Serviços na nuvem são muito mais complexos do que, digamos, um disco rígido plugado ao seu computador. São muitos os lugares em que as coisas podem dar errado, mas também tem mais gente cuidando para que tudo esteja seguro.

6) Não ignore atualizações e updates, elas são cruciais para sua proteção

Algumas pessoas se irritam com o simples fato de pop-ups alertando de atualizações de software e apps. Frequentemente você precisa conectar um dispositivo, e esperar até que as atualizações acabem de ser instaladas. Essas atualizações frequentemente são o que separam você de um invasor em potencial. Falando de modo grosseiro, você não passaria dias sem limpar e tratar de uma ferida no seu corpo, certo? Então não faça isso com seu gadget ou computador.

7) Invasores não são criminosos

Apesar de décadas de evidências contrárias, a maioria das pessoas pensa que invasores são adversários malvados que não querem nada além de roubar seus preciosos bens digitais. Mas eles também podem ser “do bem”, invadindo sistemas com o objetivo de chegar ao ponto crítico antes dos caras maus, corrigindo tais vulnerabilidades.

8) Ciberataques e ciberterrorismo são raros

Muitos temem ciberataques da mesma forma que temem serial killers. São as mais assustadoras de todas as ameaças. Mas também são as mais improváveis.

9) Darknet e Deepweb são coisas diferentes

A Deepweb se refere a uma parte da internet que não é indexada por mecanismos de busca, e assim não pode ser acessado via Google. A Darknet se refere a redes que não fazem parte da world wide web, que exigem softwares separados para serem acessadas. Por exemplo, o Silk Road e muitos mercados ilícitos são hospedados em redes da Darknet como I2P ou Tor.

Então resumindo: arranje um cofre para as suas senhas, use autenticação em dois passos, visite apenas sites que usam HTTPS e pare de se preocupar com ataques sofisticados vindos da Darknet. E lembre-se, invasores podem estar te salvando e não te prejudicando!

Acesse a notícia original no link.