Empresas do setor elétrico cobram regras para investimentos em cibersegurança

energia_face

Representantes do setor elétrico estão negociando com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) uma mudança nas regras que definem os investimentos em inovação tecnológica. Essa mudança visa incentivar as empresas a investirem em pesquisa e desenvolvimento de projetos relacionados a cibersegurança.

Pela regra em vigor, as empresas são obrigadas a investir 0,5% do seu faturamento em inovação. A proposta dos empresários, é que parte desse dinheiro seja dedicado à criação de barreiras contra ciberataques.

O setor passa por tranformações, como a automatização de sistemas que causa uma maior dependência de softwares, “que são mais vulneráveis do que sistemas isolados”, o que “aumentaria os riscos de ataques” segundo José Reynaldo Formigoni Filho do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo.

Atualmente, o setor elétrico já sofre prejuízos financeiros com “gatos eletrônicos” em equipamentos automatizados de medição. Mas José Reynaldo lembra que existem “grupos especializados em ataques sistêmicos que atualmente migraram para empresas de eletricidade”; com a proximidade dos Jogos Olímpicos e o aumento da exposição do Brasil, o país poderia se tornar um alvo de ataques com prejuízos potenciais maiores do que os causados por um “gato”.