Mais de 200 milhões de registros de serviços do setor financeiro foram violados em 2016

register_leaked

Com um crescimento de 900% em relação ao ano de 2015, o setor financeiro (bancos, seguradoras e bandeiras de cartões de crédito) foi o que mais sofreu ataques de cibercriminosos em comparação a outras atividades econômicas.

Ao analisar a forma como o setor de serviços financeiros foi atacado em 2016, a IBM X-Force descobriu que o setor foi mais afetado por ataques internos (58%) do que ataques externos (42%). Na maioria das vezes, o ataque ocorreu por conta de ações descuidadas dos funcionários, como o clique inadvertido em emails de phishing, efetuando o download de código malicioso e, com isso, concedendo acesso a informações sensíveis da empresa ao atacante.

Os cibercriminosos ampliaram seu foco em contas bancárias corporativas usando malwares como Dridex, Neverquest, GozNym e TrickBot para segmentar serviços bancários empresariais. Devido às melhores políticas de segurança das grandes instituições financeiras , os pesquisadores da IBM X-Force identificaram recentemente que alguns cibercriminosos estão migrando seus ataques para segmentos menores do setor, como bancos privados e gestão patrimonial, indicando que os criminosos estão buscando alvos alternativos e mais fáceis.

Uma das formas de reduzir os ciberataques, é justamente através do treinamento e conscientização dos funcionários sobre os riscos aos quais eles estão expostos, pois, conforme apontado anteriormente, a maioria das violações de registros acorreram por falha humana dentro do perímetro empresarial. Aliado a isso, também podemos considerar como sendo de fundamental importância a implantação de controle de acesso dos usuários para, dessa forma, reduzir a exposição de dados sensíveis e possíveis vazamentos de informações confidenciais.