Câmara aprova a exigência de impressão de voto

Urna eletrônicaNo dia 16 de junho, durante a votação do pacote de reforma política, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou a exigência da impressão do voto de cada eleitor e uma regra que retira parte do poder do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Assim como qualquer proposta de reforma política aprovada pela Câmara, ainda há necessidade de uma segunda votação pelos próprios deputados e a análise do Senado Federal.
A proposta de impressão do voto, apresentada pelo deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), caso entre em vigor, fará com que cerca de 220 milhões de comprovantes sejam impressos, levando em consideração o comparecimento nas eleições 2014 e os dois turnos de votação.

A ideia é de que, assegurado o sigilo de voto, a parte impressa seja depositada de forma automática em uma urna lacrada após a confirmação por parte do eleitor de que as informações contidas no papel correspondem às suas escolhas na urna eletrônica.

O argumento dos defensores da proposta é de que a impressão é necessária para dar mais segurança a conferência do resultado das eleições.

Para conferir a notícia completa acesse o link.