Indo mais fundo: Explorando a Deep Web

cyber attackApós dois anos da investigação sobre o Silk Road (site de drogas que operava na Deep Web e realizava transações utilizando Bitcoins) que culminou com a sua queda, Ross Ulbricht, também conhecido virtualmente como Dread Pirate Roberts (DPR), fundador e mentor do site, foi condenado a não apenas uma, mas a duas sentenças de prisão perpétua em maio de 2015.

O mercado negro bilionário de Ulbricht foi, em muitos aspectos, o primeiro do seu tipo, integrando vendas online de drogas e lavagem de dinheiro. Entretanto, especialistas em segurança pensam que certamente não será o ultimo. Outros sites como Agora, Silk Road 2 e Evolution surgiram desde a apreensão do Silk Road. Anteriormente, foram examinadas as diferentes redes que garantem o acesso anônimo e não rastreável para acesso ao conteúdo da Deep Web e a mais reconhecida delas foi a infame TOR.

O que não sabemos sobre a Deep Web

A Deep Web é, simplesmente, a porção não indexada da internet. Ela é invisível aos usuários comuns do dia-a-dia pois suas páginas e elementos não podem ser alcançados utilizando motores de busca comuns. A Deep Web é frequentemente associada ao TOR, Freenet e outras redes de anonimato. Todas elas podem ser classificadas como “darknets” e são uma parte da Dark Web (uma seção da Deep Web que requer ferramentas ou equipamentos altamente especializados para o acesso). A Deep Web pode ser melhor descrita como uma operação de mineração subterrânea em termos de escala, volatilidade e acesso. Certas partes são inacessíveis através de meios tradicionais, tornando-se um refúgio seguro para os cibercriminosos digitais ou aqueles que procuram um lugar para o comércio de bens e serviços ilegais.

Drogas ilícitas podem ser facilmente adquiridas na Deep Web, mas contrabando não é a única coisa que as pessoas procuram na rede oculta. Descobriu-se que os usuários procuram também por: Bitcoin e serviços de lavagem de dinheiro, venda de contas roubadas, passaportes e cidadanias, informações vazadas de governos, de aplicações da lei e de celebridades e até serviços de assassinato.

Acesse a notícia completa no link.