NIST planeja competição para criar criptografia “resistente a computadores quânticos”

quantum_face

É questão de tempo: em algum momento a computação quântica deverá se tornar realidade. Há um certo consenso em torno de que, quando isso acontecer, a criptografia, tal como existe hoje, estará em risco. Será virtualmente possível usar algo chamado Algoritmo de Shor para quebrar algoritmos como RSA e Dixie-Hellman, por exemplo. Com isso em vista, o NIST (National Institute of Standards and Technology) anunciou recentemente que pretende lançar um concurso aberto a qualquer pessoa disposta a desenvolver um algoritmo resistente à computação quântica.

Em um documento interno chamado NIST Internal Report (NISTIR) 8105: Report on Post-Quantum Cryptography, o Instituto detalha o atual estágio das pesquisas em computação quântica que “explora o mundo da física quântica para solucionar problemas que são impossíveis de resolver com os computadores atuais”.

“Há muita pesquisa sendo conduzida nesta área nos últimos anos e todos, de empresas a governos, querem que seus algoritmos cripográficos sejam resistentes à computação quântica”, diz o matemático do NIST Dustin Moody. “Criar esses algoritmos mais seguros é o nosso objetivo de longo prazo e uma condição chave desse esforço será a colaboração aberta com o público, que será convidado a desenvolver métodos criptográficos resistentes a ataques quânticos”.

O plano é que essa competição seja lançada “nos próximos meses”.

O NIST não é o único órgão ativamente engajado nessa busca. Em um documento de agosto de 2015, a Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA) anunciou estar trabalhando ativamente para, “num futuro próximo”, iniciar a transição para criptografia resistente a computadores quânticos – ou criptografia pós-quântica (não confundir com criptografia quântica).