Segurança inadequada na maioria dos dispositivos IoT é preocupação para profissionais de TI

iot_face

Ao mesmo tempo em que traz novas e estimulantes formas de interação entre consumidores e produtos, a Internet das Coisas (IoT na sigla em inglês) traz preocupações no quesito segurança da informação. Essa natureza “conectada”, gera inúmeras possibilidades de troca de informação e, com segurança inadequada, aplicações domésticas, wearables e outros dispositivos podem se tornar uma porta de entrada para ameaças cibernéticas.

Em uma pesquisa conduzida em março deste ano entre profissionais de segurança e TI, a empresa IOActive concluiu que para quase a metade dos profissionais do mercado (47%) menos de 10% dos dispositivos conectados à internet (IoT) disponíveis no mercado são desenvolvidos com segurança adequada. Para 85% deles, menos da metade desses produtos é segura.

“A taxa exponencial com que os dispositivos IoT chegarão ao mercado, aliada aos riscos das conexões abertas que eles trazem por padrão, os torna uma preocupação e uma prioridade”, afirmou Jennifer Steffens, CEO da IOActive. “Segundo o Gartner 21 bilhões de produtos conectados estarão em uso até 2020, é importante que as empresas os desenvolvam com segurança”, completou.

Esse “desenvolvimento com segurança” é justamente o maior dos desafios a ser enfrentado pela indústria para 72% dos entrevistados. Além disso, eles apontam como preocupantes a falta de educação para a segurança por parte dos usuários (63%) e a falta de privacidade desses produtos (59%).