Lançamento nacional do best-seller sobre o malware Stuxnet

O segundo semestre inicia-se com uma novidade para os aficcionados em vírus, malware e segurança cibernética. Está sendo lançada a versão brasileira do livro Countdown to Zero Day: Stuxnet and the Launch of the World’s First Digital Weapon. A tradução do livro para o português é um projeto da Clavis, que contou com o apoio do CNPq, da Finep e da FAPERJ. O livro descreve o funcionamento do malware Stuxnet, que atacou centrífugas de enriquecimento de urânio do Programa Nuclear Iraniano, mas também discute todos os aspectos táticos e estratégicos associados àquela que é considerada a primeira arma digital de guerra já usada numa ação contra um Estado nacional. O livro contém todos os elementos de um thriller que captura a atenção do leitor desde a primeira página. A versão brasileira do livro ganhou o nome “Contagem Regressiva até Zero Day – Stuxnet e o Lançamento da Primeira Arma Digital do Mundo” e está sendo editado pela Brasport Livros e Multimídia Ltda.

Sobre o Livro

Há quase seis anos algo estranho acontecia na usina nuclear de Natanz, no Irã. Os funcionários do local estavam tendo de trocar centrífugas a uma taxa muito maior do que o esperado, pois elas estavam se depreciando em um prazo inferior aos dez anos de vida útil declarado pelo fabricante.

As centrífugas são componentes essenciais para a produção de energia nuclear. Girando a cem mil rotações por minuto e gerando uma força gravitacional milhares de vezes superior à da Terra, as centrífugas fazem os isótopos do urânio se dividirem, extraindo dali o tipo de isótopo que interessa na geração de energia. Esse processo é chamado de enriquecimento de urânio.

O desgaste breve do equipamento intrigava não só os engenheiros de Natanz, mas também os fiscais da Agência Internacional de Energia Atômica, que fiscalizavam o local por conta da tensão política em torno da controversa gestão presidencial de Mahmoud Ahmadinejad (2005 – 2013). Na verdade, a situação ocultava algo inédito no âmbito da geopolítica: a sabotagem ao processo de enriquecimento de urânio iraniano, por meio do uso de um malware que ficou conhecido como Stuxnet.

Todos os detalhes dessa história que parece um roteiro de cinema – mas é pura realidade – estão no livro “Countdown to Zero Day: Stuxnet and the launch of the world’s first digital weapon” de Kim Zetter.

Kim é jornalista sênior da Wired, importante revista de tecnologia dos Estados Unidos e se aprofundou nessa história que abrange detalhes da composição do malware e sobre como funcionava a plataforma tecnológica da usina de Natanz, além de um panorama sobre como o uso de “zero days” se tornou importante para a criação de armas digitais, sendo determinantes para o sucesso ou fracasso de ataques, sobretudo quando falamos de um cenário de guerra cibernética.

Ficha Técnica do Livro

ISBN: 9788574528274

Edição: 1

Páginas: 432

Largura: 17

Comprimento: 24

Lombada: 2.0

Volume: 816

Ano: 2017

Lançamento: 03/07/2017

Sumário

Prólogo – O Caso das Centrífugas

Capítulo 1 – Alerta Antecipado

Capítulo 2 – 500 Kilobytes de Mistério

Capítulo 3 – Natanz

Capítulo 4 – Desconstruindo o Stuxnet

Capítulo 5 – Primavera para Ahmadinejad

Capítulo 6 – Em Busca de Zero Days

Capítulo 7 – Dias de Pagamento do Zero Day

Capítulo 8 – A Carga Útil

Capítulo 9 – Controles Industriais Fora de Controle

Capítulo 10 – Arma de Precisão

Capítulo 11 – Incubando uma Conspiração Digital

Capítulo 12 – Um Novo Campo de Batalha

Capítulo 13 – Ogivas Digitais

Capítulo 14 – O Filho do Stuxnet

Capítulo 15 – “Flame”

Capítulo 16 – Jogos Olímpicos

Capítulo 17 – O Mistério das Centrífugas

Capítulo 18 – Sucesso Qualificado

Capítulo 19 – Pandora Digital

Agradecimentos

Índice Remissivo