Pesquisadores alertam para aumento nos ciberataques durante as Olimpíadas. Phishing é destaque entre ciberameaças

Dados coletados pela empresa de segurança Fortinet e divulgados em um relatório apresentado na última semana mostraram um aumento no número de domínios maliciosos e servidores no Brasil nos meses que antecederam a abertura dos Jogos Olímpicos do Rio.

Segundo o relatório, entre os meses de abril e junho o número de URLs maliciosas detectadas no país cresceu 83%, aumento consideravelmente maior do que os 16% de crescimento no número de URLs maliciosas no resto do mundo. Domínios falsos, comumente usados em ataques de phishing também apresentaram um pico de crescimento, especialmente os que simulam sistemas de pagamento e instituições governamentais – a empresa afirma ter detectado mais de 3800 URLs maliciosas contendo a designação “.gov.br”.

Os pesquisadores concluem que haverá um aumento considerável na atividade cibercriminosa durante os Jogos Olímpicos e fazem um alerta: apesar do aumento no número de ameaças ser comum durante a realização de eventos de alcance global como as Olimpíadas, o Brasil não estaria tratando as ameaças cibernéticas como prioridade, o que pode aumentar o sucesso dos ataques.

Como justificativa eles apresentam dados colhidos pelo Fórum Econômico Mundial. Uma pesquisa realizada pelo WEF entre empresas brasileiras mostra que o roubo de dados está em 16º lugar na sua lista de preocupações. Já o risco de um ataque cibernético está em 23º lugar. Para efeitos comparativos, empresas dos EUA tratam ataques cibernéticos como a principal preocupação.

Saiba mais sobre o relatório da Fortinet neste link.