Riscos cibernéticos relacionados ao Coronavírus, saiba como se proteger

Texto adaptado de “[Segurança] Coronavírus e os riscos de ciber ataques“, escrito por Anchises

Cada dia que passa da quarentena ocasionada pelo Coronavirus, mais oportunidades aparecem para usuários mal intencionados se aproveitarem para realizar diversos tipos de fraude.

Os principais golpes utilizando o tema do Coronavírus incluem campanhas de phishing (por email, SMS ou por redes sociais) para a captação de dados pessoais ou para a infecção dos smartphones das vítimas, os aplicativos falsos, com trojan, que se fazem se passar por mapas em tempo real sobre a pandemia, além de ataques distribuídos de negação de serviço (DDoS), esquemas de fraude digital para captura de dados de cartão, coleta de donativos, ou cobrança de serviços.

Foram registrados diversos relatos e notícias de que os cibercriminosos estão usando o Coronavírus como tema para seus golpes de engenharia social, incluindo mensagens e sites maliciosos (phishing). Além disso, já foram identificados sites e aplicativos falsos para celular para disseminar trojans. Alguns relatórios da indústria estimam que milhares de novos domínios maliciosos, com o tema do Coronavírus, surgem todos os dias: entre 14 e 18 de Março, foram criados 3.600 nomes de domínio suspeitos, contendo a palavra “coronavírus”.

Para identificar uma mensagem suspeita, siga as dicas: verifique se o nome no link da notícia recebida é de um site válido e faz referência ao site que promete ser, busque por erros de português, desconfie sempre de grandes vantagens e promoções. E, acima de tudo: na dúvida, não clique no link e não compartilhe com mais ninguém.

A Clavis Segurança da Informação divulgou essa semana, uma cartilha de como se previnir aos ataques ocasionados por esse momento em que estamos vivendo.

Este momento é bem preocupante pelo fato da população estar bem mais vulnerável do que em outros. Além de propensa a buscar informações a respeito do tema, as migrações dos usuários do ambiente corporativo para o home office  os torna mais vulneráveis ainda (temos um artigo que explica quais são os cuidados que devemos ter, basta clicar aqui.). Essa enorme quantidade de pessoas trabalhando em casa, a maioria delas pela primeira vez, geralmente utilizam suas redes domésticas que são muito mais inseguras do que a infra-estrutura tecnológica que existe no escritório.

Para saber mais a respeito da notícia, clique aqui.