Nigerianos presos pela Interpol por golpes cibernéticos

Golpes atingiram dezenas de milhares de vítimas no mundo inteiro.

Três nigerianos suspeitos de crime cibernético foram presos hoje em Lagos, Nigéria, informou a Interpol. Eles são suspeitos de fazerem parte de um grupo de crime cibernético que fez dezenas de milhares de vítimas em todo o mundo

Em um relatório divulgando seu envolvimento na investigação, a empresa de segurança Group-IB disse que os três suspeitos são membros de um grupo de crimes cibernéticos que eles monitoram desde 2019 e que rastreiam com o codinome TMT.

O Group-IB disse que o grupo operava principalmente enviando campanhas de spam em massa por e-mail contendo arquivos misturados com malware.

Para enviar spam por e-mail, o grupo usou as ferramentas de automação de e-mail Gammadyne Mailer e Turbo-Mailer e, em seguida, usou o MailChimp para rastrear se uma vítima destinatária abriu suas mensagens.

O grupo TMT enviou campanhas de spam por e-mail em vários idiomas e conseguiu infectar empresas nos Estados Unidos, Reino Unido, Cingapura, Japão, Nigéria e outros.

Apesar de a investigação ainda estar em andamento, a Interpol e o Group-IB disseram ter rastreado mais de 50.000 organizações que foram infectadas com o malware do grupo.

Ao todo, mais de 500.000 empresas governamentais e do setor privado em mais de 150 países receberam e-mails do grupo, de acordo com a Interpol.

Para saber mais, visite o report da Interpol e o report do Group-IB.

Informações obtidas em https://www.interpol.int/News-and-Events/News/2020/Three-arrested-as-INTERPOL-Group-IB-and-the-Nigeria-Police-Force-disrupt-prolific-cybercrime-group, https://www.group-ib.com/media/gib-interpol-bec/, https://www.infosecurity-magazine.com/news/nigerians-arrested-over/ e https://www.zdnet.com/article/three-members-of-tmt-cybercrime-group-arrested-in-nigeria/.