O cibercrime como serviço, ou, como o fornecimento de ferramentas maliciosas está se tornando um bom negócio

  Em um painel de discussão sobre o cibercrime ocorrido em junho do ano passado em Londres, o delegado e diretor do National Cybercrime Unit do Reino Unido – Andy Archibald – falou sobre o crescimento do “cibercrime como serviço”, um negócio através do qual “100 ou 200 pessoas”, nas contas de Archibald, seriam responsáveis… Read More