Órgãos públicos têm até 2017 para incorporar auditoria de TICs

auditoria

Os órgãos públicos federais terão dois anos para se adaptar aos novos critérios de compras públicas que preveem auditorias em software e equipamentos de tecnologia da informação e comunicações – o que envolve a exigência de acesso a códigos-fonte nos editais de licitação.

A Secretaria de Logística de TI do Ministério do Planejamento já disponibilizou os critérios e orientações para o processo de contratação, além de um cronograma de adoção deles por parte da administração federal. A publicação desses documentos faz parte de um processo que prevê que “as comunicações de dados da administração pública federal direta, autárquica e fundacional deverão ser realizadas por redes de telecomunicações e serviços de tecnologia da informação fornecidos por órgãos ou entidades da administração publica federal, incluindo empresas publicas e sociedades de economia mista da União e suas subsidiárias.

Entre as medidas, o governo quer ser capaz de conferir a “integridade” e “confidencialidade” das informações trocadas internamente, tudo em busca de garantias de segurança para as comunicações de governo. Isso envolve não apenas auditar o e-mail seguro do Serpro, que aos poucos vai sendo implantado, mas também acesso aos equipamentos de rede, com o objetivo de verificar a existência de backdoors.

Acesse a notícia completa no link.