Relatório da ENISA evidencia que ataques cibernéticos se tornaram mais sofisticados no período de pandemia

O ano de 2020 significou uma mudança radical em diversos âmbitos no mundo. A pandemia do COVID-19 forçou a adoção em larga escala de tecnologia para dominar uma variedade de aspectos críticos da crise, e com o setor de segurança digital não diferente. Ao mesmo tempo que os profissionais lidam com a oportunidade de crescimento e maior valorização da área, precisam também reforçar as soluções, ferramentas e time focado em se proteger dos ataques digitais, que neste cenário também enxergaram oportunidade de maior atividade.

A Agência da União Europeia para a Cibersegurança (ENISA), com o apoio da Comissão Europeia, dos Estados-Membros da UE e do CTI Stakeholders Group, publicou o 8º relatório anual ENISA Threat Landscape (ETL), identificando e avaliando as principais ameaças cibernéticas para o período Janeiro de 2019 a abril de 2020.

Esta publicação está dividida em 22 relatórios diferentes, disponíveis em formato pdf e formato ebook. O relatório lista a principal mudança do cenário de ameaças de 2018 como a transformação do ambiente digital liderada pelo COVID-19. Durante a pandemia, os cibercriminosos foram vistos avançando em suas capacidades, adaptando-se rapidamente e visando grupos de vítimas relevantes de forma mais eficaz e sofisticada. 

Para um melhor entendimento de como o relatório ETL está estruturado, recomendamos a leitura inicial do relatório “The Year in Review“. 

Este relatório fornece uma visão geral do cenário de ameaças, destacando os tópicos mais importantes mencionados em todos os outros relatórios. Também fornece a lista da ENISA das 15 principais ameaças cibernéticas, que são os seguintes:

  1. Malware
  2. Ataques baseados na Web
  3. Phishing
  4. Ataques a aplicativos da Web
  5. SPAM
  6. Negação de serviço distribuída (DDoS)
  7. Roubo de identidade
  8. Violação de dados
  9. Ameaça interna
  10. Botnets
  11. Manipulação física, danos , Roubo e perda
  12. Vazamento de informações
  13. Ransomware
  14. Espionagem cibernética
  15. Criptojacking

Avaliando este cenário crítico, é necessário que cada organização esteja preparada com medidas de controle e mitigação de riscos cibernéticos. E a Clavis Segurança da Informação possui uma série de soluções que podem ajudar sua organização neste processo. O Centro de Operações da Segurança (SOC) da Clavis Segurança da Informação provê uma visibilidade plena sobre os eventos e informações de segurança da sua organização.

Ele agrega e unifica os principais serviços e soluções, o que possibilita fornecer aos nossos clientes uma arquitetura de segurança adaptativa para identificação de ameaças, alinhada os pilares de Governança, Risco e Compliance.

Fonte: ENISA

Conteúdos relacionados: