Serviços de mensagens instantâneas bloquearão conversas não criptografadas

Uma série de serviços de mensagens instantâneas começarão a recusar conexões não criptografadas, visando aumentar a segurança de um dos protocolos de comunicação de mensagens instantâneas mais conhecidos, o XMPP (Extensible Messaging and Presence Protocol – antigo Jabber). Desenvolvedores haviam anunciado em um manifesto que iriam começar a testar criptografia para XMPP em modelos cliente-servidor e servidor-servidor a partir de Janeiro de 2014, em um movimento anunciado como um passo inicial para garantir a segurança do protocolo de comunicações contra criminosos e agências de espionagem governamentais.

Elaborada em 2013 por Peter Saint-Andre, a iniciativa estabeleceu um plano para reforçar a segurança da rede XMPP. O manifesto, até o momento assinado por mais de 70 operadores de serviços XMPP e desenvolvedores de software, ofereceu um ponto de encontro para os interessados ​​em garantir a segurança dos XMPP para seus usuários, de acordo com a empresa Prosodical.

“Enquanto a XMPP é uma rede distribuída aberta, obviamente, nenhuma entidade pode obrigar a criptografia para toda a rede, mas como um grupo estamos nos movendo na direção certa. Esse compromisso com conexões criptografadas é apenas o primeiro passo em direção a uma comunicação mais segura utilizando XMPP, e não exclui a necessidade de tecnologias de suporte a criptografia end-to-end”, disse a empresa em uma postagem.

A atualização seria suficiente para impedir uma escuta passiva, evitando que mensagens sejam interceptadas por criminosos ou agências de espionagem. A iniciativa, similar à Reset the Net, visa tornar obrigatório o uso de criptografia de canal, utilizando Secure Sockets Layer (SSL) e Transport Layer Security (TLS). Os usuários podem verificar maiores detalhes sobre os serviços XMPP e a segurança dos mesmos aqui.

Mais informações através do link.